ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE CAVALOS DA RAÇA MANGALARGA

Mangalarga, o Cavalo de Sela Brasileiro

PT

Logo

Eletroquimioterapia



Saúde


Eletroquimioterapia: esperança para o tratamento de cânceres em equinos

Terapia inovadora vem apresentando resultados satisfatórios tanto para tumores sólidos cutâneos quanto subcutâneos.

 

A eletroquimioterapia, uma nova modalidade de terapia de controle local para neoplasias sólidas, tem oferecido esperança para o tratamento de cânceres em equinos. Entre as vantagens do tratamento estão a baixa incidência d? efeitos colaterais graves, explica a médica veterinária, Marilia Bianchini. Segundo ela, a? pesquisas ??tã? progredindo ? ?á podem oferecer perspectivas animadoras quanto à possibilidade dessa terapia ?? tornar um? alternativa à? terapêuticas tradicionais. Acompanhe!

 

O que é a eletroquimioterapia?

Eletroquimioterapia é uma técnica de tratamento utilizada em tumores sólidos, cutâneos e subcutâneos, que consiste na administração de um agente quimioterápico seguida da eletropulsação ou eletroporação do tumor. A eletroporação é a emissão de pulsos elétricos no tumor, que tem por objetivo facilitar a entrada na célula de substâncias não permeáveis à membrana celular. Dessa forma, a eletroquimioterapia tem por objetivo potencializar a ação de um fármaco. A cisplatina, uma das drogas mais utilizadas para quimioterapia em equinos, é pouco permeável à membrana celular, porém após o processo de eletroporação fica potencializada em cerca de 80 vezes.


Esse tratamento é indicado para quais doenças?

A eletroquimioterapia é indicada para tumores sólidos cutâneos e subcutâneos, como sarcoides, melanomas e carcinoma de células escamosas.


É indicada para cavalos a partir de qual idade?

Não há uma faixa etária indicada. Porém, os estudos realizados foram com grupos de equinos a partir dos três anos de idade submetidos à pesquisa.


Como se aplica?

Com o animal submetido à anestesia geral, é feita a injeção intralesional de quimioterápico seguida da exposição dos tumores a pulsos elétricos gerados por eletrodos posicionados na pele do animal, após tricotomia e aplicação de gel condutor.


Qual o período de tratamento?

Os cavalos devem ser avaliados a cada quatro semanas a partir da primeira aplicação para saber a necessidade de mais sessões de tratamento. De forma geral, quanto maior a massa, maior a quantidade de sessões requeridas para a regressão tumoral.


Em que local vem sendo realizado esse tratamento?

Várias clínicas e hospitais particulares de pequenos animais fornecem essa terapia, porém em equinos seria necessário encaminhá-lo a uma instituição de pesquisa, por exemplo, USP, ou entrar em contato com os veterinários oncologistas que fazem essa terapia.


Quem desenvolveu essa terapia?

O primeiro estudo da eletroquimioterapia em equinos foi publicado em 2002 pelos autores franceses Rols, Tamzali e Teissié, porém esta técnica é conhecida desde 1988, quando se descobriu que com a ajuda de pulso elétrico aumenta-se a citotoxicidade de fármacos quimioterápicos.


A técnica é 100% segura para o animal? Ele pode voltar a se reproduzir ou competir?

O tratamento é rápido e dura cerca de 1 a 5 minutos, porém como o animal está "recebendo um choque", é necessário anestesiar o equino para a sua própria segurança e das pessoas envolvidas no processo. Não foram relatados efeitos colaterais graves, apenas inchaço/edema na região da aplicação da quimioterapia, por 1 a 5 dias. Não há dados a respeito de interferência em fertilidade e desempenho esportivo do animal.


Qual o custo do tratamento?

O custo deve ser orçado com os oncologistas que prestam esse serviço.


Qual a taxa de cura?

A taxa de cura é de aproximadamente 90%.

Logo

Anúncios


Logo

Parceiros